Alfredão fez paranaense se apaixonar pelo Noroeste

O autor é Danilo Comenda, estudante do 4° ano de jornalismo na Unesp Bauru que fez acompanhamento com a assessoria de imprensa no clube.

Morador do Parque Santa Cândida, em Bauru, Benedito Carolino, 57 anos, não perde nenhum jogo do Noroeste no Estádio Alfredo de Castilho. Desde que se mudou para Bauru, vindo do estado Paraná em 1978, Benedito se apaixonou pelo Norusca comparecendo aos jogos do clube na companhia dos amigos.A relação entre o Noroeste e o azulejista, profissão que Benedito exerce há anos, se tornou mais próxima pelo lado atleta que o torcedor exercia. Jogador do futebol amador e da várzea bauruense por anos, o senhor Benedito atuou por algumas vezes no Alfredo de Castilho. Isso fez crescer o amor do paranaense pelo Alvirrubro. O estádio que foi reinaugurado em 1960, após incêndio no antigo Alfredo de Castilho em 1958, é um dos fatores que o motivou a torcer para o norusca. Benedito torce para que o público volte a comparecer em massa ao Estádio Alfredo de Castilho para apoiar o Noroeste e ajudar reerguer o clube à elite do futebol paulista nesta fase de mata-mata.

TIME DE 1985
Além disso, os esquadrões montados pelo time bauruense durante a década de 1980 encantaram Benedito. O time de 1985 que contava com o goleiro Sílvio Luiz e o atacante Osmair, é uma das lembranças mais marcantes do torcedor. “O grande marco desse time, para mim, foi a vitória por 3 a 1 sobre o Santos, com três gols de Osmair, um dos meus ídolos”, recorda o torcedor. Benedito está confiante na retomada da época vitoriosa do clube e acesso para a série A2. “Foi montado um bom time para esse ano com a presença de jogadores de qualidade, como o Richarlyson que é filho do Lela, outro grande jogador da história do clube.” afinaliza o torcedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *