Maicon Douglas fará jogo de n.º 50 com a camisa do Noroeste

Maicon Douglas fará jogo de n.º 50 com a camisa do Noroeste

Jogador chegou em 2016 e tem sido um dos principais nomes do clube nas últimas três temporadas, almejando alcançar números expressivos, acessos e títulos pelo Norusca

 .

Por Bruno Freitas

 

Se no futebol as torcidas e os clubes estão cada vez mais carentes de ídolos e atletas de identidade com a camisa, sobretudo nos times do Interior, o volante noroestino Maicon Douglas é uma exceção. O jogador completará nesta quarta-feira (31), na partida contra a União Barbarense, às 20h, sua partida de número 50 vestindo a camisa do Noroeste.

Em entrevista produzida pela assessoria de imprensa do clube, o jogador revelou o sonho de conquistar dois acessos pelo Norusca, disputar um Campeonato Brasileiro pelo time de Bauru e alcançar números maiores, se espelhando no ex-companheiro de treino e hoje auxiliar técnico Marcelo Santos.

Três anos defendendo o clube, o sotaque carioca está se misturando cada vez mais com o jeito de falar do interior paulista. Já o futebol, mudou bastante também, mais maduro, mais técnico, com mais tranquilidade dentro e fora de campo, além de exercer liderança no elenco, assim como os atletas mais experientes, como o zagueiro e capitão Marcelinho.

INÍCIO

Natural da cidade de Engenheiro Paulo de Frontin, no interior do estado do Rio de Janeiro, onde morou e cresceu na rua Atila Portugal, no Morro do Sossego, Maicon Douglas, hoje com 25 anos, chegou ao Noroeste em janeiro de 2016, após uma passagem pelo Bonsucesso. “Cheguei em Bauru faltando duas semanas para a estreia do Paulista Série A3, por meio do meu empresário e indicação do presidente Estevan Pegoraro, que na época era tesoureiro do Noroeste. Conquistei meu espaço e fui titular”, disse Maicon Douglas.

A estreia dele, no Alfredão, no dia 30 de janeiro, num 2 a 2 contra o Grêmio Osasco, ele foi improvisado na lateral-esquerda e depois passou a jogar todos os jogos na posição de origem, volante. Ele só ficou de fora em um jogo naquele estadual, por suspensão de dois cartões amarelos.

RELAÇÃO COM A CIDADE E A TORCIDA

O volante comentou sobre o carinho que tem com a cidade e com os torcedores. “Fui muito bem recebido no clube, pela comissão técnica, jogadores, funcionários, diretoria e torcedores. É o meu terceiro ano aqui no clube. Além de jogador, me sinto um torcedor do Noroeste também. E isso vai ser pra sempre. Até brinco com a minha família, dizendo que já me sinto um bauruense”, frisa.

METAS

Maicon  Douglas deseja recolocar o Noroeste na elite do Paulista e defender o clube contra os gigantes do futebol. “Almejo sim chegar a disputar uma Série A do Brasileiro, jogar no exterior. Mas isso eu deixo para depois. Minhas metas nesse momento é subir o Noroeste para a Série A2 e logo depois chegar à Elite do Paulistão pelo Norusca. E, também, jogar um Campeonato Brasileiro pelo Noroeste. É meu sonho. E é possível sim. Vejo que hoje temos grandes chances para isso. Vamos trabalhar muito forte para que isso aconteça”, destaca.

FAMÍLIA

Filho de professora e motorista, Maicon Douglas reconhece que tudo o que alcançou é graças aos pais, seus maiores incentivadores. “ Meu pai Marcos Aurélio e minha mãe Leila são os meus maiores incentivadores. Meu pai sempre quis ser jogador e não conseguiu. E ele realiza esse sonho através de mim. E sempre que eu entro em campo é por eles também. Todas as vitórias e meus objetivos eu dedico para eles. Não estaria aqui se não fosse por eles”, revela.

Maicon conta ainda que começou no futebol aos 4 anos de idade, numa escolinha de sua cidade, com o treinador Ulisses, seu primeiro técnico. “Tivemos um jogo contra o Vasco, quando eu tinha 6 anos. Joguei muito bem, fiz gol. E depois fui convidado para fazer teste no Vasco, no dia do meu aniversário. Fiz quatro gols naquele dia e fui aprovado pelo time de futsal do Vasco. Lá foi meu primeiro clube. Depois, aos 9 anos, fui para o Flamengo, onde fiquei lá na base por 10 anos, onde tive meu primeiro contrato profissional, aos 16 anos de idade. Na sequência fui para o Corinthians e depois fui profissionalizado por lá, jogando a Copa Paulista de 2011”, recorda. Maicon Douglas passou depois por clubes de Minas, do Rio e veio para o Noroeste de Bauru.

ESPELHO

Maicon Douglas se espelha na representatividade que Marcelo Santos conquistou no Noroeste. “Com o Marcelo Santos, hoje nosso auxiliar técnico, tive o prazer de jogar junto. Ele completou 150 jogos pelo Noroeste, em 2016. Tenho esse objetivo também, de um dia alcançar esse marca expressiva e dar muitas alegrias ao nosso torcedor”, finaliza.

DEPOIMENTOS

“Maicon Douglas foi uma grata surpresa. Vem evoluindo muito dentro e fora de campo, como atleta e pessoa. É um jogador fundamental do clube hoje” (Estevan Pegoraro, presidente).

“Ele é um exemplo de profissional. Tenho certeza que vai almejar coisas cada vez maiores na carreira. Ele tem consciência do futebol que pode apresentar e também pode ser líder de qualquer time que defender. Ainda bem que temos ele aqui” (Rodrigo Gomes, vice-presidente executivo).

“O Maicon Douglas chegou a ser cotado para deixar o clube após a Copa Paulista de 2017, mas voltou a evoluir, ganhou o reconhecimento do treinador, voltou a ser titular e é hoje uma das peças importantes do elenco” (Reinaldo Mandaliti, vice-presidente de futebol).

Deixe uma resposta

Fechar Menu