Prefeitura não coopera e Noroeste corre o risco de fechar as portas, do clube e do ginásio.  Existe solução?

Prefeitura não coopera e Noroeste corre o risco de fechar as portas, do clube e do ginásio. Existe solução?

 

Por Estevan Pegoraro

Presidente E.C Noroeste

 

Ao longo desta semana recebemos centenas de manifestações enaltecendo nosso querido e glorioso Noroeste. Agradecemos todos àqueles que são verdadeiramente apaixonados pelo nosso Norusca e queríamos deixar aqui nosso muito obrigado pelas inúmeras mensagens, ligações, e-mails, artigos e postagens nas redes sociais que recebemos pelos 106 anos deste clube que é, sem dúvida, o maior patrimônio esportivo de nossa cidade.

Infelizmente são poucos os motivos a serem comemorados. A situação do clube é grave. Sem adentrar no mérito das gestões que nos antecederam, a realidade é que hoje o clube possui dívidas nas esferas civil, trabalhista, federal, estadual e municipal que tornam praticamente impossível sua subsistência. Gastamos mais para pagar as dívidas do que com a atual manutenção do clube. Esta situação é inviável e precisa ter um fim.

Se a prefeitura não cooperar, vamos colocar cadeado em todos os portões, inclusive do ginásio Panela de Pressão, nesta sexta-feira, dia 16/9, depois do encerramento das Caravanas do Esporte e das Artes.

 

HONRAR AS DÍVIDAS

Noroestinos: precisamos honrar nossas dividas. Uma pessoa honesta e digna, quando deve, paga. A dignidade de nosso clube precisa ser vista também pelos aspectos financeiro e operacional.

Não existe glória esportiva que justifique qualquer inadimplência.  Não sinto prazer algum em ser campeão em campo e um devedor fora dele. Aprendi com a vida e com meus pais que para ser respeitado devemos honrar nossos compromissos. Isso serve pra qualquer pessoa e sim, há que servir para nosso querido Noroeste.

O clube precisa mudar de rumo, virar essa página. É preciso olhar para o horizonte e sonhar com dias melhores, mas como disse Stalin no pós-guerra visando a reconstrução dos Soviéticos, às vezes é preciso dar um passo à trás para depois dar dois passos pra frente.

 

PEDIDO DE APOIO

Aos nossos torcedores pedimos apoio e serenidade. Apoio, pois acreditamos que há uma saída e faremos tudo que estiver ao nosso alcance para solucionarmos os problemas e transformarmos o Noroeste novamente em um clube viável economicamente. Pedimos também serenidade para compreenderem o momento e os dias difíceis que estão por vir.

Acreditamos que estamos diante do maior desafio da história de nosso querido e amado clube. Nossos dois últimos presidentes renunciaram seus respectivos mandatos. Não hesitaremos em tomar as medidas necessárias, por mais impopulares que sejam. Contamos com a compreensão dos torcedores para tanto.

A farra no futebol tem promessa de dias contados. a Lei de Modernização do Futebol, conhecida como Profut, impõe profissionalismo e gestão aos clubes. Essa medida aterrorizou grande parte dos dirigentes de clubes do Brasil. Queremos acreditar que a Lei será cumprida e que o futebol passará por momentos difíceis sim, mas que em longo prazo esse temor dos dirigentes será convertido em seriedade na gestão de seus clubes.

 

VENDA DO PATRIMÔNIO

Mas temos sim uma saída: pagarmos nossas dividas com nosso patrimônio, como todo devedor faz. Temos um patrimônio avaliado em quase 40 milhões de reais e nossas dívidas somadas não chegam aos 10 milhões, ou seja, não estamos falidos.

Contudo, apesar de não estarmos tecnicamente falidos, pois temos um patrimônio maior que nossas dividas, estamos em situação de insubsistência.

Em números  temos uma dívida de 10 milhões devidamente parcelada e negociada de forma que gastamos aproximados 100 mil reais/mês para o pagamento dessa divida. Esse valor é muito alto e torna o clube insubsistente.

Gastamos metade disso (aproximadamente 50 mil mensais) com a manutenção e com o pagamento da folha salarial e dos encargos de nossos compromissos mensais. Não há como gastar mais da metade de seu orçamento com dividas do passado. Precisamos sanar essas despesas.

Temos uma receita de aproximadamente 70 mil mensais. Esse valor é suficiente para honrar os compromissos mensais do clube com manutenção, folha de pagamento e todos os encargos. Por isso dizemos que o clube tem solução. Se não tivermos dívidas pra pagar nossa receita é maior que nossas despesas.

O que compromete hoje a gestão do clube são as dividas das gestões passadas. Sem essas dívidas, nossas despesas não passam de 60 mil/mês, mas com o pagamento das dividas as despesas superam a casa dos R$ 150 mil mensais.

Como nossa receita gira na casa dos R$ 70 mil/mês, ficamos sem condições de manter o clube em atividade.

Para solucionar esse impasse, teremos que dispor de nosso patrimônio físico.

A melhor solução, ao nosso ver, seria a Prefeitura de Bauru comprar o imóvel do Noroeste, pois se vamos ter que vender pra alguém, nada melhor que para o poder publico de nossa cidade.

A prefeitura comprando, fica a certeza que o estádio será sempre usado para o futebol, bem como a panela de pressão para o basquete e o vôlei, que tanto bem fazem aos nossos munícipes  Enfim, o patrimônio que pertence aos bauruenses estaria salvo para o bem de nossa cidade.

A conta é simples: para a prefeitura é um excelente negócio, pois compraria um patrimônio de R$ 40 milhões por menos de ¼ de seu valor e ainda parcelado ao longo dos anos, enquanto que o Noroeste se desfaz de seu patrimônio físico, mas livra-se das dívidas, torna-se administrável novamente e mantém o seu patrimônio mais importante que é o amor e a paixão de sua torcida.

Se tiverem outras propostas, somos todos ouvidos, mas tenhamos pressa, pois a qualquer momento se desligarem os aparelhos, nosso querido Norusca pode parar de respirar…

Deixe uma resposta

Fechar Menu