‘’Temos que prestigiar o Noroeste. É a atração da cidade’’, diz torcedor no Alfredão

‘’Temos que prestigiar o Noroeste. É a atração da cidade’’, diz torcedor no Alfredão

Eliseu Jacinto de Deus, 70 anos, diz que a população bauruense tem como obrigação apoiar o time, independentemente da situação

.

Felipe Cres da Fonte – (Estudante de Jornalismo, 2.º ano, USC)

 

No último domingo (28), o Esporte Clube Noroeste empatou em 0 a 0 com o Capivariano, em jogo válido pela quarta rodada da Série A3 do Campeonato Paulista, no Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru, e manteve a invencibilidade e a liderança na tabela. Na arquibancada, o torcedor Eliseu Jacinto de Deus, de 70 anos, chamou a atenção para o fato de que o time é o coração da cidade e que o bauruense precisa apoiá-lo, independentemente da situação ou divisão em que se encontra.

Figura presente nos jogos do Norusca no Alfredão, Eliseu ressalta que jogo do Noroeste tem grande importância porque é a única grande atração da cidade na modalidade. “A campanha da Locomotiva Vermelha está sendo positiva. Estou muito esperançoso e convicto de que o time brigará pelo acesso”, comenta.

Natural de Minas Gerais, Eliseu conta que mora em Bauru há 33 anos. Segundo ele, todo este período, morando na cidade, foi o suficiente para criar uma identidade com o Noroeste. ‘’Me mudei para o estado de São Paulo em 1969. Fui morar em Pederneiras e depois me mudei para Pirajuí. E a partir de 1984 passei a morar Bauru. E sou noroestino desde então. Posso ter o privilégio de acompanhar o Noroeste aqui no estádio’’, finaliza.

 

Texto feito como parte do programa voluntário e de aprendizagem com estudantes de jornalismo, em partidas do Noroeste pelo Campeonato Paulista, no Alfredão.

Foto no topo: Felipe Cres da Fonte

Revisão e edição: Bruno Freitas/Noroeste

Deixe uma resposta

Fechar Menu